Como desenvolver a AUTOCONFIANÇA

Convido-te, antes de avançares, a pensares um pouco sobre: O que é para ti Autoconfiança?

Muitos de nós acreditamos que ou somos confiantes ou não somos confiantes. Vemos a confiança como se fosse uma característica que nasceu connosco. Pois bem a confiança não é uma característica de personalidade, é sim uma habilidade que pode ser desenvolvida. Tal como podemos tornar os nossos músculos mais fortes no ginásio, também existem uma série de exercícios e de formas de estar que promovem o aumento da autoconfiança. Assim a autoconfiança é uma capacidade passível de ser trabalhada para ser fortalecida.

A autoconfiança uma base fundamental para o desenvolvimento e crescimento pessoal. Quanto temos uma autoconfiança elevada nós acreditamos que somos capazes e avançamos rumo à nossa melhor versão, à nossa vida em realização e plenitude. Quanto temos um alto nível de autoconfiança somos mais ágeis a superar obstáculos e situações desafiantes que surjam no nosso caminho

Quanto temos uma baixa autoconfiança nós sentimo-nos limitados e bloqueados e não damos os passos em direção à nossa melhor versão, em direção à vida que nós desejamos. Uma baixa autoconfiança promove a nos digamos mentalmente a nós mesmos que não somos capazes – o que bloqueia o nosso crescimento, a nossa evolução. Os nossos comportamentos estão alinhados com o que nós acreditamos sobre nós próprios.

O que pode apoiar o aumento da autoconfiança?

1 – Ação: A ação alinhada apoia-nos na nossa realização e consequentemente na nossa confiança. Quando sentimos que realizamos, sentimos que somos capazes, aumentamos a nossa autoconfiança. Deixamos de pensar que não conseguimos, e passamos a desenvolver um pensamento e sentimento de que conseguimos, sentimo-nos úteis sentimos que conseguimos qualquer coisa, sentimos que somos capazes. A ação promove a autoconfiança, especialmente a ação diferente, a que nos desafia a sair da rotina.

2 – Competência: O fazer bem, criar o hábito de fazer bem, de fazer com competência, com excelência. Quando nos orgulharmos do que fazemos, promovemos o sentimento de realização e consequentemente o sentimento de que somos capazes de fazer o que nos propomos. Fazer com competência consistentemente também é uma forma de apoiar a nossa autoconfiança.

3 – Consciência: Quando nós nos começamos a conhecer, quando vivemos de uma forma mais consciente promovemos a nossa autoconfiança pois distinguimos 3 situações básicas : factos, interpretação e emoção. Muitas vezes quando passamos por alguém conhecido e nos mostra uma cara menos simpática, nós fazemos uma interpretação desse facto que nos gera uma emoção – muitas vezes não nos apoia na preservação e elevação na nossa autoconfiança então a distinção clara dos factos interpretação e emoções é fundamental, porém para isso é essencial estar consciente.

4 – Observação: Tudo começa na nossa mente, então para onde ela está direcionada? Observar como nos estamos a sentir, e observar a origem do sentimento tentando dar resposta às questões: “O que eu estou a sentir neste momento?” e “O que levou a que eu me sinta assim?” apoiam o nosso autoconhecimento e uma vez que as nossas ações estão alinhadas com o que nós sentimos a observação apoia a uma consciência para o sentimento e ação positiva. Apoia a que não nos deixemos levar por determinadas interpretações emoções que muitas vezes reduzem a autoestima.

5 – Dizer não em alinhamento: Quando sabemos dizer que “não” às outras pessoas com assertividade, alinhados com a certeza dentro de nós para que haja consonância externa e interna. É um não para a outra pessoa mas interiormente estamos certos que esse não está alinhado connosco, não promovemos um sentimento de culpa. Os compromissos connosco estão em primeiro lugar, nós somos a nossa maior prioridade. Não colocamos em causa as nossas realizações para dar resposta às necessidades dos outros, quando nos colocamos em primeiro lugar estamos a promover a nossa autoconfiança.

6 – Fazer diferente: Quanto mais nos prendemos à zona de conforto mais fazemos tarefas rotineiras e estamos num modo “homem máquina”. Quanto mais fizermos o que sempre fizemos mais vivemos dentro da nossa bolha , o que bloqueia a perceção de oportunidades e perspetivas diferentes. A saída da nossa zona de conforto é uma das coisas que mais alavanca a nossa autoconfiança.

7- Foca-te no nosso ser. A comparação com outras pessoas pode ser muito prejudicial, por outro lado quando reservamos tempo para nós para sabermos mais sobre nós próprios, sobre os nossos talentos e paixões estamos a potenciar as nossas capacidades e consequentemente a nossa autoconfiança. Quando focamos em nós temos mais ganhos. Nunca nos devemos esquecer que a pessoa mais importante da nossa vida somos nós próprios.

8- Gratidão: sempre que praticamos a gratidão estámos a dar indicação ao nosso cérebro para se focar no positivo, nos nossos feitos positivos e nos acontecimentos melhores o que nos vai apoiar no sentimento expansivo e consequentemente na ação dai resultante.

A autoconfiança é a base para a nossa evolução, manter e elevar a autoconfiança é um desafio que pode levar à concretização da vida que idealizamos. Quando nos questionamos a nós próprios “Quem sou eu para fazer isto?” estamos a autossabotarmo-nos então é fundamental estar atentos não entrarmos em fuga ou não avançarmos por sentirmos receio do que os outros vão pensar. Uma vida Plena é de acordo com as expectativas que temos para nós próprios e não de acordo com as expectativas que os outros têm para nós

Leave a Comment

Contactar
Fale diretamente comigo
Olá.
Podemos ajudar?