Comunicação na mudança profissional

A comunicação é essencial para um processo de mudança profissional bem-sucedida. Comunicamos connosco próprios, com os intervenientes relacionados com a nossa atividade profissional atual e precisamos de desenvolver uma comunicação alinhada com os intervenientes da nossa atividade profissional futura.

Às vezes as pessoas mudam de profissão por se sentirem desconfortáveis com as dinâmicas profissionais do seu trabalho, mas não mudam a sua forma de comunicar consigo próprias e com o contexto. Muito provavelmente a insatisfação vai surgir de novo pois não houve uma mudança na forma de interagir.

De uma forma geral nós não paramos para pensar pois acreditamos que estamos demasiado ocupados a fazer todas as coisas que nos são propostas no dia a dia. Isso faz com que não tenhamos consciência do que é importante para nós, dos nossos limites e da melhor forma de comunicar esses limites.

Lembro-me de um cliente que me chegou a relatar que já tinha passado por vários empregos nos quais, passado algum tempo, passava a trabalhar várias horas a mais das que tinham sido estabelecidas numa fase inicial. Esta pessoa queria, como todos nós, construir uma vida para além do seu trabalho, nomeadamente desenvolver-se num desporto pelo qual é apaixonado. Naturalmente, com as horas extra de trabalho ficava sem disponibilidade para os treinos. Esta pessoa acreditava que o problema estava nos trabalhos aos quais se candidatava, mas a verdade é que a raiz do problema deste cliente estava na sua assertividade, ou na falta dela. Não investia em comunicar de forma eficaz com as chefias e deixava-se ser levado pelo dia a dia, por esse motivo os momentos de reflexão são fundamentais. Quando paramos para pensar na nossa vida, numa perspetiva construtiva ganhamos clareza sobre o que é importante para nós, sobre o que está bem na nossa vida e ainda identificamos aquilo que podemos melhorar, formas de o fazer. A reflexão permite-nos tomar consciência do que podemos fazer de diferente para que não estejamos constantemente a recomeçar num novo trabalho e a replicar o mesmo desafio em cada experiência. Já Einstein dizia que é insano pensar que podemos obter resultados diferentes a fazer as mesmas coisas da mesma forma.

A comunicação é sem dúvida a base para construímos realidades profissionais melhores para nós seja no nosso trabalho atual, seja num novo contexto de trabalho.

Evidencias de que não estamos a comunicar de forma eficiente no nosso contexto profissional

Quando não comunicamos de forma eficiente geramos frustração, ansiedade, stress, conflitos e mal-entendidos e normalmente em vez de escolhermos ser assertivos fazemos uma de duas coisas:

Temos um comportamento passivo

O comportamento o passivo acontece quando não verbalizamos a nossa vontade, as nossas ideias, não reivindicamos os nossos direitos nem damos a conhecer os nossos limites. Não manifestamos a nossa opinião por insegurança. Mentalmente inferiorizamos o nosso pensamento nem assunto especifico relativamente à opinião de outras pessoas. Esta dinâmica tem origem num complexo de inferioridade.

Temos um comportamento agressivo

Quando queremos fazer prevalecer a todo o custos as nossas ideias estamos a ter um comportamento agressivo. Queremos fazer valer a nossa opinião por cima das outras pessoas e expressamos essa opinião com alguma agressividade à mistura.

Então como seria uma boa comunicação no âmbito profissional?

Conseguimos ter uma comunicação eficiente quando somos claros relativamente ao que queremos, expressamos sem ruídos e sem medos o que pensamos. Através da assertividade nós conseguimos reduzir drasticamente os conflitos, os mal-entendidos. A assertividade permite-nos ficar calmos e tranquilos pois ficamos com a certeza de que a outra pessoa recebeu a mensagem que pretendíamos e isso faz com que desenvolvamos a nossa atividade profissional com níveis mais altos de desempenho.

Ser um profissional assertivo é ter uma atitude de comunicação clara e objetiva das necessidades, preferências e opiniões sem envolver agressividade ou hostilidade para com outros elementos. É uma capacidade de expressar ideias com firmeza sem promover constrangimentos.

Os profissionais assertivos tendem a promover acordos onde ambas partes ganhem. Sabem que é importante defenderem as suas opiniões e também sabem como fazê-lo no que diz respeito às palavras que usam, à postura corporal e ao tom de voz o que faz com que evitem situações de grandes conflitos.

Independentemente de nos mantermos no nosso trabalho atual ou de avançarmos para uma mudança ou evolução profissional a assertividade permite-nos ser mais felizes nesta área da nossa vida. Pode inclusive ser diferenciadora numa situação de transição em que é necessário manter o trabalho atual durante algum tempo até a mudança se efetivar, pois apoia-nos a desenvolver relações de respeito com as pessoas no nosso contexto.

A assertividade é uma habilidade que pode ser desenvolvida e que nos vai alicerçar a nossa comunicação no âmbito profissional. Então o que podemos fazer para sermos pessoas assertivas? Vamos abordar alguns passos de seguida:

Clareza sobre nós próprios

 A raiz da falta da assertividade está em nós não sabermos quem somos, o que valorizamos, quais são os nossos limites a até onde estamos dispostos a ir. Conforme exemplifiquei o cliente que mudava de trabalho inúmeras vezes e repetia o mesmo padrão não tinha consciência de quais eras os seus limites e o que era importante para si. Refletiu sobre o assunto ao longo da nossa primeira sessão, mas antes disso ele acreditava que o problema estava nos trabalhos e não em si. Quanto mais conscientes estivermos do que queremos mais facilmente o vamos comunicar às pessoas com quem interagimos no nosso contexto profissional.

Criar o habito de ter uma linha de raciocínio

Quantas vezes falamos sem pensar e sem criar uma linha de raciocínio que nos permita passar a mensagem que pretendemos para o nosso interlocutor? Quando incluímos um compasso de espera para darmos estrutura à nossa ideia refletimos no que vamos dizer. Não se trata de encenar um guião, mas sim de ter claro qual a intenção da nossa comunicação no ambiente profissional no qual estamos inseridos. Isto ajuda-nos a verbalizar a mensagem de acordo com o que pretendemos.

Escutar as pessoas

A comunicação acontece em vários sentidos e a verdade é que às vezes estamos a ouvir um colega, um chefe ou um cliente e já estamos a pensar no que vamos dizer a seguir. Na realidade, quando entramos neste tipo de mecanismo deixamos de escutar e passamos apenas a ouvir o que faz com que não tenhamos claro aquilo que é importante para o outro. A assertividade tem sempre o foco de chegar a soluções benéficas para as 2 partes e não apenas para nós ou para a outra parte. Só assim conseguimos uma eficiente comunicação na nossa vida profissional.

Objetividade

Quanto mais simples e limpa for a informação mais facilmente a mensagem vai chegar ao outro lado. Importa que usemos palavras que a pessoa do outro lado conheça e que tenhamos poder de síntese. Acontece que por falta de intenção e de clareza de quem comunica se verbalize muita informação indireta que torna confuso o conteúdo para quem ouve. Então devemos ser o mais explícitos possível. Quando queremos transmitir uma mensagem devemos pensar no que queremos transmitir e depois verbalizarmos com objetividade.

Linguagem corporal

Um gesto transmite informação. Na assertividade a postura e o contacto visual com a pessoa com quem estamos a comunicar é muito importante. A nossa postura e a forma como nos movimentamos deve estar de acordo com aquilo que estamos a transmitir. A assertividade também é uma forma de mostrar confiança e só o conseguimos se a nossa postura for essa (coluna direita, olhar em frente, peito aberto).

Foco na solução

Sendo que a assertividade visa acordos com vantagens para todas as partes importa que foquemos nas soluções. Temos uma grande tendência para nos deixarmos embrulhar por problemas, o que nos impede de identificar oportunidades e soluções alternativas. Isto bloquea a nossa comunicação no âmbito profissional. Mais do que falar num problema é fundamental que tenhamos várias alternativas para que ambas as partes se sintam com liberdade de escolha e se cheguem a bons acordos.

Treinar

Pessoas que não se consideram assertivas tendem a não opinar, a não expor as suas ideias. Se não estamos a expor as nossas ideias e as nossas preferências estamos a deixar de contribuir para a evolução do contexto profissional e a promover frustração dentro de nós, pois não expomos aquilo que pensamos e as estratégias implementadas podem estar desalinhadas com valores importantes para nós. Aquilo que sugiro é que se inicie um treino consciente para comunicar, por exemplo numa reunião ou num convívio profissional. Respirar e falar calmamente com uma mensagem clara vai apoiar este treino. Através de pequenos passos conseguimos construir mudança desenvolvendo uma maior confiança e um contexto mais alinhado connosco.

Espero que estas estratégias te apoiem a comunicar melhor na tua vida profissional para que possas ser mais feliz, ganhar mais clareza e viver com mais significado.

Caso queiras fazer um processo de mudança ou evolução profissional com acompanhamento podes conhecer o meu trabalho aqui

Artigos Relacionados:

Importância do vision board na mudança profissional
Mudança profissional com confiança
8 princípios do alinhamento profissional
9 Riscos ignorados mudança profissional
4 crenças que limitam a tua evolução profissional
Identidade e crescimento profissional
Plano de ação 5w2h para mudança profissional
Acredita que é possível a tua mudança profissional
Como ser reconhecido no trabalho?
4 filmes sobre mudança profissional
Vazio profissional – 8 formas de eliminar
Modelo de negócio profissional
Pirâmide de Maslow na vida profissional
4 exemplos de persistência e sucesso profissional
5 perguntas para identificares as tuas qualidades

8 perguntas mudança profissional

Mudança profissional com o modelo GROW

Leave a Comment

Contactar
Fale diretamente comigo
Olá.
Podemos ajudar?